As curitibanas da Roda de Samba Maria Navalha viajam para o Rio de Janeiro no mês de Março para a realização de uma homenagem à matriarca do samba, Dona Ivone Lara. O tributo à grande sambista acontecerá no simbólico Jongo da Serrinha e contará com mais três grupos de samba, dois cariocas e um paulista. Todos os grupos são formados apenas por mulheres.

A iniciativa de fazer esta homenagem, ainda em vida, à cantora e compositora quase centenária surgiu em Curitiba, quando as meninas da Maria Navalha conheceram as paulistas da roda Amigas do Samba. Foi em setembro de 2017 num tributo à Bucy Moreira feito pelo grupo Samba do Sindicatis. “Ela [Dona Ivone] e o Nelson Sargento são as entidades sobreviventes de toda essa época que nós acreditamos e que a gente defende. Não fazia sentido esperar ela morrer para fazer uma homenagem”, explica Larissa Vuitika, integrante da Maria Navalha.

De lá pra cá as láureas para Dona Ivone ganharam corpo com a participação das rodas Moça Prosa (RJ) e Flor do Samba (RJ). Os quatro grupos formarão uma grande roda com cerca de trinta mulheres no Sábado de Aleluia – feriado da Páscoa – no dia 31 de Março no Jongo da Serrinha (Madureira, Rio de Janeiro – RJ).

Mesmo com o local do evento já definido, as meninas ainda sentem um friozinho na barriga ao pensarem no que pode acontecer até o dia 31. Fato é que, por fata de atenção do governo do Rio, o Jongo da Serrinha corre risco de fechar. “A ideia é fazer no Jongo da Serrinha, mas infelizmente a gestão do Rio tem causado problemas à manutenção da estrutura do Jongo e na verdade a gente não sabe o que vai acontecer. Está perigando fechar mesmo”, conta Thais Medeiros, integrante da Roda Maria Navalha.  Seria uma lástima e tiraria parte do simbolismo como explica Maiara Barros, do Maria Navalha, sobre a importância do local na homenagem: “Por se tratar do espaço onde ela começa a se realizar enquanto compositora, enquanto sambista, enquanto mulher. Que são as coisas que nos trazem até ela”.

 

Financiamento do projeto

A Roda de Samba Maria Navalha é o resultado de um projeto de pesquisa chamado Samba Mulher (já falamos dele aqui no site Chegou a Maria Navalha!) que basicamente resgata o trabalho de compositoras que atuaram no período entre os anos 30 e 70. Sendo assim, as meninas dividem seu tempo entre as pesquisas e a execução das músicas em rodas se samba. No entanto, com a empreitada da homenagem à grande Dona Ivone, elas tiveram que intensificar a quantidade de apresentações do coletivo.

São duas as principais formas de financiamento do projeto: a primeira fonte de renda são as apresentações feitas em bares parceiros, que destinam parte da arrecadação ao grupo, e a segunda vem de uma rifa que as meninas vendem durante estas apresentações, cuja parceria com alguns fomentadores da cultura local propicia prêmios interessantíssimos aos amantes do samba e apoiadores desta bela missão das curitibanas (confira a lista de prêmios abaixo). Em resumo “a gente realmente depende da galera que está afim de fomentar a cultura, fomentar o samba com a gente e fomentar a memória de uma mulher tão importante pra gente em vida”, explica Maiara Barros.

A Maria Navalha pretende levar 15 integrantes para a cidade do Rio de Janeiro. Segundo a integrante Denise Faria, o custo aproximado, incluindo passagens, estadia, alimentação e translado, deve girar em torno dos 8 a 10 mil Reais.  Assim, qualquer tipo de apoio é válido para o grupo, como por exemplo a doação de milhas de companhias aéreas.

Rifa

A compra de uma rifa no singelo valor de R$ 5,00 dá direito ao sorteio de diversos prêmios:

1º Combo: Maria Navalha ALIMENTADA: são vales para consumo n’A Caiçara, Espaço Carmela e Chico Burguers. Todos os restaurantes citados ficam no centro de Curitiba.

2º Combo: Maria Navalha do GORÓ: dá direito a tomar umas e outras na Lanchonete Nakarocha, também no Bar do Fogo, além da chance de ganhar uma cesta de Vinhos da Vinícola La Dorni.

3º Combo: Maria Navalha RELAX: Sessões de massagem, aulas de boxe ou muay thai na Academia Gala, Flash Tattoo de 50,00 e roupa exclusiva da Casa da Mãe Joana.

4º Combo: Maria Navalha CULT: CD’s dos sambistas curitibanos.

5º Combo: Maria Navalha APRENDIZ: Aula de música.

Roda de Samba Maria Navalha e Nilze Carvalho

Ontem o quintal do A Caiçara ficou cheio e a roda foi linda!!!! Nilze Carvalho e seus músicos Hudson Santos (violão 7 cordas) e Netinho Albuquerque (pandeiro) nos de um grande presente participando e prestigiando!!! Que possamos continuar sempre valorizando o samba e as compositoras!!!Agradecimento especial a todos que compareceram e contribuíram conosco, ao A Caiçara que abriu seu espaço, Fernanda Fausto e Álvaro Cesar Rocha! Além da Denise Faria e Maiara Barros que fizeram falta!!!!!!Que venha o Rio de Janeiro!!!!

Posted by Samba Mulher: Roda de Samba Maria Navalha on Monday, January 29, 2018

 

Texto de Everton Mossato |  Fotos de José Pires | Revisão de Maria Ramalho

 

 

Links

http://www.donaivonelara.com.br/

https://www.facebook.com/sambamarianavalha/

http://jongodaserrinha.org/

https://www.facebook.com/sindicatis/

https://www.facebook.com/AmigasdoSamba/

https://www.facebook.com/mocaprosa/

https://www.facebook.com/Flor-do-Samba-1746347739011424/

https://www.facebook.com/acaicaracuritiba/

https://www.facebook.com/Espacocarmela/

https://www.facebook.com/ChicoBurguers/

https://www.facebook.com/pages/Nakarocha-Lanchonete/562345047158261

https://www.facebook.com/bardofogo/

https://www.facebook.com/ladornivinicola/

https://www.facebook.com/fidelcuritiba/

https://www.facebook.com/fabianovianna

Comentários

Comentários

About The Author

Everton Mossato

É jornalista, cofundador do Parágrafo 2, "emprestado" ao funcionalismo público. Descabaçou como repórter em jornais de bairro de Curitiba. Já teve uns blogs e editou o documentário Tabaco - As folhas da incerteza. Aprecia o ritmo de produção intermitente e acredita que "uma cerveja antes do almoço é muito bom pra ficar pensando melhor".

Related Posts