Por José Pires, com colaboração de Anita Babinski, Everton Mossato e Fabiano Mossato

Eram 19 h 46 quando Lula subiu ao palco. Minutos antes, a organização do evento havia esvaziado o local para uma breve inspeção de segurança. Quem conduzia as apresentações esperava uma entrada triunfal do ex presidente, antecedida por uma breve apresentação e da puxada de um coro de apoio. Mas Lula rompeu o protocolo, subiu sobre a estrutura montada em frente a Universidade Federal do Paraná antes de ser chamado e levou a multidão ao delírio. Ao lado dele a também ex presidente Dilma Roussef, deputados, senadores e líderes de movimentos sindicais e sociais.

A praça esteve tomada durante toda a tarde desta quarta feira (10). Militantes de diversos estados do Brasil se reuniam sobre o petit pavê da Santos Andrade, no Centro de Curitiba. Segundo a organização mais de 50 mil pessoas, participantes de dezenas de movimentos sociais que compõem a Frente Brasil Popular, aguardavam a chegada do ex presidente. Vendedores ganhavam uns trocados oferecendo de espetinho a capas de chuva.

Nas ruas laterais centenas de policiais militares faziam a segurança, além deles, helicópteros sobrevoavam o local de quando em quando. Em meio a apresentações musicais aconteciam vários discursos de políticos, de líderes partidários e de representantes de movimentos sociais.

Para os organizadores 50 mil pessoas estavam no ato, já a PM fala em cinco mil

As horas passavam e a praça se enchia, um enorme boneco do Lula passeava entre a multidão que se revezava cantando “Fora Temer” e “Olê olê olê olá, Lula, Lula”. A noite caía quando os primeiros indícios de que o presidente viria mesmo à praça apareceram: A Senadora Gleise Hoffmann e o Senador Lindbergh Farias, ambos do PT, que acompanhavam o depoimento do ex presidente na Polícia Federal, subiram ao palco.

Críticas a Temer, Sérgio Moro e Rede Globo

Em todos os inflamados discursos não faltaram, além do evidente apoio a Lula, duras críticas ao governo de Michel Temer (PMDB), à Rede Globo e a atuação do Juiz Sergio Moro. Em seu discurso, a Senadora Gleise Hoffmann, enfatizou que a atuação do judiciário vai ao encontro dos interesses do presidente Michel Temer e do PSDB e, segundo ela, tal “acordo” é respaldado pela Rede Globo.

Confira um trecho do discurso da Senadora.

Lindbergh Farias, por sua vez, fazendo alusão a fama de conservadora que a cidade de Curitiba tem, disse que “se engana quem acha que Curitiba é terra de coxinha, não é, foi aqui que os estudantes secundaristas começaram a ocupar as escolas contra a Reforma do Ensino Médio, foi aqui que os professores levantaram a voz contra os desmandos do governador Beto Richa”.

Confira um trecho do discurso do Senador

Já Guilherme Boulos, da Coordenação Nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), disse que todos que estavam na Praça Santos Andrade eram sim a favor das investigações da Polícia Federal contra esquemas de corrupção. No entanto, enfatizou Boulos, investigação não pode ser linchamento, não pode trabalhar com a presunção de culpa.

Confira um trecho do discurso de Guilherme Boulos

Ainda discursaram, antes da chegada do ex presidente Lula, a deputada federal Maria do Rosário (PT), a deputada federal Jandira Feghali (PC do B), Eduardo Suplicy, entre muitos outros.

Em tom de campanha

Antes do discurso de Lula, como era de se esperar, quem falou foi a ex presidente Dilma Roussef. Sob o coro de “volta Dilma” a ex chefe de estado começou seu discurso dizendo que “tem certeza que esse país não continuará por este caminho do golpe atrás do golpe”. Dilma disse que há uma conspiração em curso no Brasil. “Depois do golpe agora eles conspiram para legitimar a retirada de direitos trabalhistas no Brasil. Nem na ditadura militar ousaram tirar os direitos dos trabalhadores. Agora eles estão produzindo um retrocesso na presidência e vão nos condenar em uma das mais perversas legislações para aqueles que trabalham sua vida inteira. É isso que eles querem e é isso que nós não vamos deixar”, disse. Dilma também fez críticas ao juiz Sergio Moro e a Rede Globo.

Não faltaram críticas a Michel Temer, Sergio Moro e Rede Globo

Depois do discurso de Dilma chegava a vez de Lula. A multidão, que aguardou o fim do julgamento que durou quase cinco horas, estava em polvorosa. Depois de um “alarde” midiático sobre a vinda do ex presidente a Curitiba, focado prioritariamente em seu depoimento ao juiz Sergio Moro, o que se viu, na Praça Santos Andrade, foi possivelmente o primeiro discurso de Lula rumo à corrida presidencial de 2018. Fato irônico, já que a capital paranaense é conhecida como a “República de Curitiba”. Mas o apelido, usado por Lula de forma pejorativa, numa referência à ofensiva da Justiça contra Getúlio Vargas nos anos 50, foi adotado com orgulho por muitos curitibanos.

Ao pegar o microfone Lula falou por quase 20 minutos. Seu discurso foi carregado de agradecimento à militância, de críticas ao modo de agir do Juiz Sergio Moro e a alusões de sua volta como candidato à presidência em 2018.

Confira o discurso do ex Presidente Lula na noite desta quarta feira no Centro de Curitiba.

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Comentários

About The Author

José Pires

É Jornalista idealizador do Parágrafo 2. Trabalhou como repórter na Região Metropolitana de Curitiba e como Assessor de Imprensa. Dirigiu o documentário Tabaco – As folhas da incerteza. Acredita que o Jornalismo é mais do que a reprodução dos fatos mais relevantes do dia

Related Posts